sábado, 17 de maio de 2008

De perder a fome...



Hoje deu vontade de falar sobre um assunto que eu sempre achei interessante. Talvez bizarro seria a palavra certa. Devo ter começado a pesquisar sobre o assunto quando eu tinha uns 12 anos e fiquei espantada com a coisa. Hoje, depois de 9 anos, apesar da população ainda possuir um pouco mais de conhecimento sobre a doença, devido a mortes que a imprensa divulgou, me parece que a coisa continua crescendo. Com vocês, a anorexia!

Tá, quem me conhece sabe que sempre solto um ‘tô engordando, não vou comer isso pq é muito calórico’. Mas quem me conhece tb sabe que nunca fui magérrima nem tenho intenção de ser. Tenho orgulho de ter perna grossa (ok, as celulites poderiam desaparecer), e exatamente o que me faz adiar exercícios e blá blá blá pra perder a barriga (rs) é ter q perder o resto tb. Inclusive acabei de atacar um doce de abóbora deliciooooso aqui heheheh. E não vou vomitar nem fazer exercícios pra queimar isso. Pronto, só me diferenciando das meninas com o problema.


Essas fotos são da menina de preto aí. Nem parece a mesma pessoa, né?
A anorexia fez com que ela pesasse apenas 30 kg, quase matando-a. Ela caminhava pelas ruas em um ritmo obsessivo, das 6:00 às 18:00. Subia e descia qualquer escada que encontrasse e quando estava em casa, não ficava quieta em seu quarto. Mesmo quando não estava caminhando, ela permanecia a maior parte do tempo de pé. Como conseqüência, ela passou 18 meses no hospital, buscando todas as alternativas para superar a sua anorexia.


O problema, como se precisasse de mais, é que além de lidar com sua própria doença, agora as anorexicas tem o apoio de outras loucas. Um exército de adolescentes está usando a internet para ensinar outros jovens a serem anoréxicos, pregando a inapetência
e a autopunição sempre que comerem.Tudo para chegar ao que seria a coisa
mais importante da vida, de acordo com os autores dos sites: ficar magro. As páginas são assustadoras. Exibem fotos de meninas cadavéricas, como as que eu coloquei, apontadas como modelos de beleza, e dão, inclusive, dicas e artimanhas para enganar os pais. Neles, a “Anna”, o apelido da anorexia, e a “Mia”, o apelido da bulimia (distúrbio caracterizado por indução de vômito após uma refeição), são colocadas como um estilo de vida.

O aspecto gravíssimo é o fato de as autoras também incitarem outras jovens a não se render a tratamentos ou ceder a pessoas que insistam para que elas se nutram. Neles, lêem-se frases assustadoras como “perdi oito quilos nos últimos cinco dias. Foi difícil, mas mesmo assim ainda não é o suficiente” ou “esse site foi feito por uma anoréxica que escolheu não se recuperar”.


Nunca entendi pq deixam esse tipo de site na net. “Fazer apologia de algo que faz mal à saúde e pode levar à morte pode ser considerado um crime”, Associação de Anorexia Nervosa e Distúrbios Associados (Anad), entidade sem fins lucrativos sediada nos Estados Unidos, luta para que os sites pró-anorexia sejam incluídos na lista dos conteúdos ilegais, a exemplo da pedofilia.

Enquanto isso, vc pode digitar no google ‘anna mia’ e encontrar inúmeros sites com fotos, maneiras de perder peso rápido, tabela de calorias (o ideal é vc não comer, mas como as pessoas costumam não agüentar, vc pode saber quanto está consumindo se comer um tomate e um suco de laranja por dia..), jeito de enganar os pais e até enganar os médicos caso vc for internada!

Quer uma dica de site?
http://www.freewebs.com/annamialifestyle/index.htm
Dê uma lida em ‘carta da ana’. Passeiem pelo guestbook pra ler mensagens do tipo:

’’Hoje ainda nao consegui cortar muito na comida. Comi um yogurt fat free de manha, uma barra de cereal (light), 3 pepsi diet, cous cous e ameijoa, 3 tamaras, 1 mao cheia de uvas e pro jantar almondegas e vegetais, Meu Deus! da pra alimentar um batalhao, que vergonha, vou comer menos amanha. Nao fiz exercicio so andei por meia hora, bj’’
------------

Informações sobre a doença:

Anorexia nervosa é um distúrbio alimentar resultado da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves. A pessoa se olha no espelho e, embora extremamente magra, se vê obesa. Com medo de engordar, exagera na atividade física, jejua, vomita, toma laxantes e diuréticos.
É um transtorno que se manifesta principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também em homens. Às vezes, os pacientes anoréxicos chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição e o índice de mortalidade chega a atingir 15% a 20% dos casos, o maior entre os transtornos psicológicos, geralmente matando por ataque cardíaco, devido à falta de potássio ou sódio (que ajudam a controlar o ritmo normal do coração). A anorexia nervosa é uma doença complexa, envolvendo componentes psicológicos, fisiológicos e sociais. Uma pessoa anoréxica pode ser também bulímica


Muitos especialistas acreditam que a influência da mídia é a principal (mas não a única) causa de transtornos alimentares. Isto porque a mídia comumente impõe o estereótipo em que a magreza é um fator importantíssimo, senão indispensável, para o sucesso social e econômico de uma pessoa, desde redes de televisão até filmes e revistas. Tal influência é bastante negativa em crianças e adolescentes, cuja personalidade está em formação, e casos de garotas anoréxicas entre 11 e 14 anos existem com relativa freqüência. Pessoas que passaram por eventos traumáticos anteriormente, como rejeição familiar ou abuso físico e/ou sexual, também possuem um maior risco de serem anoréxicas. Pessoas em certas profissões, como atletas, bailarinos, dançarinos, ginastas ou modelos, podem motivar uma pessoa a decidir por diminuir seu peso, possivelmente resultando em um transtorno alimentar. O perfeccionismo também é um fator de risco. Fatores como a perda de pessoas queridas ligadas ao doente e as tristezas geradas, levam a má alimentação do doente. Ele passa não sentir fome ou vontade de comer, o que gera a anorexia praticamente involuntária.


Quando vivíamos em cavernas o ideal de beleza eram mulheres bem gordas. Nas pinturas dos séculos passados o ideal eram mulheres cheias. Marilyn Monroe seria considerada gorda nos padrões atuais.. O modelo de magreza começou nos anos 60 com a modelo Twiggy Lawson. Deste então o padrão esqueleto passou a ser incorporado cada vez mais no mundo da moda.
A Espanha deu o primeiro passo para terminar o abuso contra as mulheres. A Semana de Moda de Madri proibiu modelos com índice de massa corporal (IMC) inferior a 18 kg/m² de desfilar nas suas passarelas. O IMC é calculado da seguinte forma. Divida o seu peso pela sua altura ao quadrado. Peso 50 kg e tenho 1,58m de altura, Multiplico a altura (1,58X1,58) = 2,4964. Depois, pegue o peso e divida-o por este resultado. Total = 20,02. A modelo Ana Carolina se achava gorda com 1,74m e 46 kg. Seu IMC era de 15,20. Bem abaixo do índice permitido pelos espanhóis e do recomendado pelas Nações Unidas - entre 18,5 kg/m² e 25 kg/m².



A anorexia nervosa tem cura. Segundo especialistas a cura não é fácil e exige apoio familiar, porque é uma doença com raízes psicológicas. O primeiro passo e o mais importante é convencer o anoréxico que está doente. Que não é perseguição, mas que deve ser tratado antes que seja tarde demais. Motivar e apoiar o anoréxico é importante em sua recuperação.
A reintrodução dos alimentos deve ser gradativa. Caso contrário provocaria grande sobrecarga cardíaca. Às vezes, é necessária a internação hospitalar para que essa oferta gradual de calorias seja controlada por nutricionistas.
Não há medicação específica para a anorexia nervosa. Medicamentos antidepressivos podem ajudar a atenuar sintomas depressivos, compulsivos e de ansiedade. Em geral, o tratamento de pacientes anoréxicos exige o trabalho de equipe multidisciplinar.


Sintomas
•Perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa.
•Recusa em participar das refeições familiares. Os anoréxicos alegam que já comeram e que não estão mais com fome;
•Preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Esses pacientes chegam a ingerir apenas 200kcal por dia;
•Interrupção do ciclo menstrual (amenorréia) e regressão das características femininas;
•Atividade física intensa e exagerada;
•Depressão, síndrome do pânico, comportamentos obsessivo-compulsivos;
•Visão distorcida do próprio corpo. Apesar de extremamente magras, essas pessoas julgam-se com excesso de peso;
•Pele extremamente seca e coberta por lanugo (pêlos parecidos com a barba de milho).

8 comentários:

Anônimo disse...

Oi querida! que bom que vc passou pelo de dentro!
beijão!
mauren.

Larissa disse...

A anorexia é um problema seriíssimo. E infelizmente não é tratado como deveria. A mídia divulga mortes de modelos anoréxicas, fala sobre bulimia em novelas, mas ainda assim nos impõe a beleza da magreza. Eu sei lá, pode até ser bonito ser magrinha e tal, conheço magras lindas, mas conheço algumas nem tão magras assim que dão de mil! E pensar que tem gente que acha isso bonito! Olha só essas fotos! :O Olha, quando eu quiser ver meus ossos, eu tiro um raio-x. Não quero ser assim, nunquinha. E eu amo internet, mas que ela só piorou isso, é a maior verdade. Essa disseminação de sites favoráveis a esse tipo de doença influencia, e muito, no comportamento jovem. E eu digo isso por ser jovem, e ter amigos assim. Não igual à foto, mas obsecados com magreza. A divulgação (e exatação) do dia-a-dia de celebrities como Amy Winehouse, Lindsay Lohan, Kate Moss etc, faz com que as pessoas se espelhem nela. "Eu quero ser magra igual à ela", "eu quero ser linda igual à ela", "eu quero ser como ela"... conheço pessoas que passaram da admiração da beleza da fulana à cópia de suas atitudes; passaram do "quero ser bonita como ela" ao "quero usar as drogas que ela usa". E não é exagero.
Eu preciso emagrecer. Meu IMC está um pouquinho acima do recomendado. Eu estava emagrecendo, foi só chegar o fim do ano, junto com o pism, que engordei de novo. Agora, ser assim? Deeeus me livre.

AD_Vassaitis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

eu tive anorexia tenho 14 anos e jah cheguei a pesar 32kg com1,70 fui internada e hoje peso 46, estou melhorando mais eh dificil e sofrido, e ao contrario do q as pessoas ignorantes possam pensar naum eh frescura, eh com uma dependencia, tipo um drogado vc naum consegue largar e naum tem volta, vc eh motivo de chacota e preconceito, e se acha linda eh muito triste e torturador, a anorexia promete q vc sera linda + a ultima coisa q vc fik eh linda, ser magra tdb + dentro dos padroes, soh digo uma coisa a anorexia te faz ser qm vc num eh, ela mata tudo de bom q existe em vc, c fik infeliz e mau-humorado acha q o mundo tah contra vc.Naum entre nessa de magreza extrema a anorexia naum eh moda eh doença.

Anônimo disse...

eu tenho medo muito medo de ter isso

Joice disse...

Entrei no site que voce mostrou aqui no seu blog, achei horrivel!! como que pode ter gente que chega montar um site popularizando anorexia..

Diego disse...

Gostei muito de que postou.
As mulheres param de comer, ficam preocupadas com calorias ingeridas, se preocupam até com quantas calorias tem o remédio que PRECISA tomar, só que ñ param pá pensar que isso ñ importa! Tá tão fifícil de encontar mulher de personalidade !!!
Os homens de hj, por sua vez, apelam para o uso de anabolizantes (e ñ me venham falar que mulher ñ paga pau!), injetam ou tomar porcarias que vão deixá-los obesos e com muita chance de adquirir câncer, td para chamar a atenção e poder ser popular. É muita carência, mas se ñ dançar conforme a música, vai ser condenado a ficar sozinho e admito que até eu tenho medo que isso aconteça comigo.
Acho que deveria postar uma matéria sobre o uso de anabolizantes, se quiser posso ajudar.

Abraço, bjos e td de bom pá td mundo ...

Anônimo disse...

É verdade, mais sofrer por ser enorme tbm não é legal. Como se as pesoas nos culpa-se por sermos "diferentes." Não apoio! acho terrivel e um próprio criminoso qm indus. Não induso, mais mato-me assim...
bju