terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Heranças Nórdicas

Post dedicado aos camaradas Allan Robert P. J. e Sándor, e às ladies Srta Poulain, Flávia e Chris Tegethoff . Valeu pelos elogios e pelo incentivo.
Bom, que bom que tenho um espaço onde posso desmistificar muitas mentiras e enganações que rolam por aí e deixar as pessoas um pouco mais instruídas da verdade e tal. De vez em quando quero usar esse espaço aqui para isso.
Desmistificar: é “desmascarar, acabar com aquilo que era uma mistificação, um embuste”.
Bom, neste post, em específico, quero falar pra vcs sobre algumas das muitas heranças dos povos do Norte da Europa, que temos ainda hoje. Mas que muita gente nem sabe, pq foram adulteradas com o tempo.
1) A PÁSCOA (OVOS DE PÁSCOA, O COELHO, ETC...)

-->


PÁSCOA HOJE:
A tradição de dar um ovo na Páscoa tem milênios. Anteriormente, o ovo era de galinha mesmo. O hábito de dar ovos de verdade vem da tradição pagã!
A tradição de presentear com ovos - de verdade mesmo - é muito, muito antiga. Na Ucrânia, por exemplo, centenas de anos antes de era cristã já se trocavam ovos pintados com motivos de natureza - lá eles têm até nome, pêssanka - em celebração à chegada da primavera.

Mas os ovos não eram para ser comidos. Eram apenas um presente que simbolizava o início da vida. A tradição de homenagear essa estação do ano continuou durante a Idade Média entre os povos pagãos da Europa.

Eles celebravam Ostera, a deusa da primavera, simbolizada por uma mulher que segurava um ovo em sua mão e observava um coelho, representante da fertilidade, pulando alegremente ao redor de seus pés.

Os cristãos se apropriaram da imagem do ovo para festejar a Páscoa, que celebra a ressurreição de Jesus - o Concílio de Nicéia, realizado em 325, estabeleceu o culto à data. Na época, pintavam os ovos (geralmente de galinha, gansa ou codorna) com imagens de figuras religiosas, como o próprio Jesus e sua mãe, Maria.

Já no século XVIII, confeiteiros franceses tivessem a idéia de fazer os ovos com chocolate - iguaria que aparecera apenas dois séculos antes na Europa, vinda da então recém-descoberta América. Surgido por volta de 1500 a.C., na região do golfo do México, o chocolate era considerado sagrado pelas civilizações Maias e Astecas.

FESTIVAIS DO ASATRU:
21 de Março - OSTARA - Festa de Eostre, a Deusa da Primavera. É um festival de alegria e fertilidade. É tempo de dar ovinhos coloridos de presente aos amigos, assim como nossos ancestrais faziam, como um simbolo de boa sorte, fertilidade e prosperidade. Essa tradição sobrevive até hoje no moderno feriado de Páscoa, só que os ovos viraram dechocolate.


Eostre ou Ostera é a deusa da fertilidade e do renascimento na mitologia anglo-saxã, na mitologia nórdica e mitologia germânica. A primavera, lebres e ovos coloridos eram os símbolos da fertilidade e renovação a ela associados.
De seus cultos pagãos originou-se a Páscoa (Easter, em inglês e Ostern em alemão), que foi absorvida e misturada pelas comemorações judaico-cristãs. Os antigos povos nórdicos comemoravam o festival de Eostre no dia 30 de Março. Eostre ou Ostera (no alemão mais antigo) significa “a Deusa da Aurora”. É uma Deusa anglo-saxã, teutônica, da Primavera, da Ressurreição e do Renascimento. Ela deu nome ao Sabbat Pagão, que celebra o renascimento chamado de Ostara.
deusa Eostre / Ostera
Posteriormente, a igreja católica acabou por a Páscoa às festividades pagãs de Ostara e absorveu muitos de seus costumes, inclusive os ovos e coelhinho da Páscoa. Podemos perceber isso pelo próprio nome da Páscoa em inglês, Easter, muito semelhante a Eostre.

O COELHO/ LEBRE

Coelho


Lebre Européia

A Lebre da Páscoa (e não o Coelho) era o animal sagrado da deusa teutônica da Primavera, Eostre, a deusa lunar que dava fertilidade à terra e tinha cabeça de Lebre. A palavra inglesa para Páscoa,* Easter, provém do nome da deusa Eostre, também designada Ostara ou Eostar. O dia do culto de Eostre, a Páscoa (Easter), que ainda é praticado pelos seguidores da tradição celta, é no primeiro Domingo depois da primeira Lua Cheia, após o equinócio da Primavera ( hemisfério norte), ocorrendo entre os dias 19 e 22 de Março.
A Lebre, sendo o símbolo da Lua, associa-se à Páscoa porque a Lua é utilizada para determinar a data da Páscoa. Os católicos, através do Concílio de Nicéia em 325 fixaram o dia de Páscoa no primeiro Domingo depois da Lua Cheia, a partir de 21 de Março.
Muitos nem sequer percebem que o coelho é um dos maiores símbolos de fertilidade da Deusa, pois eles levam um período de 28 dias para estarem e darem à luz os filhotes, e 28 dias é o ciclo de uma lunação.

OS OVOS

O Ovo é o símbolo da imortalidade, da ressurreição e da abundância da vida que é manifesta na Primavera. É o símbolo perfeito do Universo entre os Chineses, os Egípcios, os Gregos, os Romanos, os Persas e outros povos.
Os antigos Egípcios, Chineses, Gregos, Persas e Romanos trocavam ovos na Primavera, estação onde todos os seres da natureza renasciam após o Inverno, em homenagens e oferendas aos deuses da fertilidade. Na tradição teutônica, os druídas pintavam os ovos de vermelho escarlate em honra do deus-Sol e os anglo-saxônicos ofereciam ovos coloridos à deusa Eostre. Muitos países do Leste Europeu como a Ucrânia, a Polônia, a Macedônia, a Rússia, a Bulgária e outros têm como tradição pintar ovos durante o período da Páscoa. Na Igreja Ortodoxa Russa os ovos são abençoados na igreja durante o período da Páscoa e são um componente especial na refeição da manhã do dia de Páscoa. Também nos países nórdicos, bem como na Alemanha, na Inglaterra, na Holanda e em França as crianças vão de porta em porta pedindo ovos da Páscoa.Esta prática foi-se generalizando por todos os países de tradição católica.
2) "HALLOWEEN" / "DIA DE TODOS OS SANTOS" / "DIA DOS MORTOS"
(Período compreendido entre 31 de Outubro e 02 de Novembro.)
A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às atuais abóboras ou da famosa frase "Gostosuras ou Travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas.
Era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão(samhain significa literalmente "fim do verão").
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_das_bruxas
SAMHAIN - HALLOWEEN - 30 de Abril(hem. sul) / 31 de Outubro(hem. norte)
Este é o mais importante de todos os Festivais, pois, dentro do círculo, marca tanto o fim quanto o início de um novo ano. Nessa noite, o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se torna mais tênue, sendo o tempo ideal para nos comunicarmos com os que já partiram. O sentido do Halloween é nos sintonizarmos com os que já partiram para lhes enviar mensagens de amor e harmonia. A noite do Samhain é uma noite de alegria e festa, pois marca o início de um novo período em nossas vidas, sendo comemorado com muito ponche, bolos e doces, além de muitas brincadeiras, danças e músicas. Antigamente, as pessoas colocavam abóboras na janela para espantar os maus espíritos e os duendes que vagavam pelas noites do Samhain. Essa palavra significa "Sem Luz", pois, nessa noite, o Deus morreu e o mundo mergulha na escuridão. A Deusa vai ao Mundo das Sombras em busca do seu amado, que está esperando para nascer. Eles se amam, e, desse amor, a semente da luz espera no Útero da Mãe, para renascer no próximo Solstício de Inverno como a Criança da Promessa.


Fonte: http://marged.vilabol.uol.com.br/paganismo.html


BELTANE - A FOGUEIRA DE BELENOS - 01 de Novembro(hem. sul) / 01 de Maio(hem. norte)
Beltane é o mais alegre e festivo de todos os Sabbaths. O Deus, que agora é um jovem no auge da sua fertilidade, se apaixona pela Deusa, que em Beltane se apresenta como a Virgem e é chamada "Rainha de Maio". Em Beltane se comemora esse amor que deu origem a todas as coisas do universo. Beleno é a face radiante do Sol, que voltou ao mundo na Primavera. Em Beltane se acendem duas fogueiras, pois é costume passar entre elas para se livrar de todas as doenças e energias negativas. Nos tempos antigos, costumava-se passar o gado e os animais domésticos entre as fogueiras com a mesma finalidade. Daí veio o costume de "pular a fogueira" nas festas juninas. Uma das mais belas tradições de Beltane é o MAYPOLE, ou MASTRO DE FITAS. Trata-se de um mastro enfeitado com fitas coloridas. Durante um ritual, cada membro escolhe uma fita de sua cor preferida ou ligada a um desejo. Todos devem girar trançando as fitas, como se estivessem tecendo seu próprio destino, colocando-os sob a proteção dos Deuses. É costume na Wicca jamais se casar em Maio, pois esse mês é dedicado ao casamento do Deus e da Deusa.
BELTANE FESTIVAL



Fonte: http://marged.vilabol.uol.com.br/paganismo.html
(O que que rolou? Imaginem os monges cristãos vendo um negócio desses, na floresta, ou onde quer que fosse...? Aí a Igreja Católica, na tentativa de suprimir essas festas, e mesmo a lembrança dessas datas, instituiu o “Dia de Todos os Santos”, dia 01/11, e permite a visita a túmulos, no “Dia dos Mortos”, dia 02/11.)

A festa do dia de Todos-os-Santos é celebrada em honra de todos os santos e mártires, conhecidos ou não. A Igreja Católica celebra a Festum omnium sanctorum a 1 de novembro seguido do dia dos fiéis defuntos a 2 de novembro.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_de_todos_os_santos
3) O NATAL (PAPAI NOEL, RENAS, ETC...)


(Papai Noel, Santa Claus, ou o nome que quiser dar, na verdade é ninguém mais ninguém menos que nosso camarada ODIN, hehe. E as renas vieram "substituir" Sleipnir, o cavalo de 8 patas de Odin.)

Vamos lá.
Antes da conversão ao Cristianismo, as tradições orais alemãs narravam que o deus ODIN (Wotan) a cada ano fazia uma grande caçada no período do solstício de inverno (Yule), acompanhado por outros deuses e por guerreiros mortos em batalha.
Segundo a tradição, as crianças deveriam deixar seus sapatinhos junto à lareira, enchendo-os com cenouras, palha ou açúcar para alimentar o cavalo voador do deus, Sleipnir. Em troca, Odin trocaria os alimentos por presentes ou doces e petiscos.
Esta prática sobreviveu na Bélgica e Países Baixos mesmo na época cristã, associada à figura de São Nicolau.
As crianças, ainda hoje, colocam nas lareiras seus sapatos cheios de palha numa noite de inverno, para que sejam enchidas com doces e presentes por São Nicolau - diferentemente do Papai Noel, naqueles lugares o santo ainda chega a cavalo.
Também neste aspecto, no de velho barbudo de ar misterioso, Odin era semelhante a São Nicolau (mesmo que o deus seja privado de um olho).
A tradição germânica chegou aos Estados Unidos através das colônias holandesas de New Amsterdam e New York, antes da conquista britânica do século XVII, e está na base do hábito moderno de colocar uma meia na lareira, no Natal, semelhante ao costume difuso na Itália em 5 de janeiro para a chegada da Befana. 

A ÁRVORE
Uma das versões da árvore fala de S. Bonifácio (675-754), monge beneditino inglês que, numa de suas pregações, derrubou um carvalhopara convencer os fiéis de que aquela árvore não era sagrada como eles acreditavam. Ao cair, o carvalho esmagou árvores menores que estavam ao redor. Sobrou apenas um pequeno pinheiro, que foi dedicado a Jesus Cristo.
A origem da árvore de Natal é mais antiga que o próprio nascimento de Jesus Cristo, ficando entre o segundo e o terceiro milênio A.C.. Naquela época, uma grande variedade de povos indo-europeus que estavam se expandindo pela Europa e Ásia consideravam as árvores uma expressão da energia de fertilidade da Mãe Natureza, por isso lhes rendiam culto.
O carvalho foi, em muitos casos, considerado a rainha das árvores. No inverno, quando suas folhas caíam, os povos antigos costumavam colocar diferentes enfeites nele para atrair o espírito da natureza, que se pensava que havia fugido.

FLORESTA DE CARVALHOS

A árvore de Natal moderna surgiu na Alemanha e suas primeiras referências datam do século 16. Foi a partir do século 19 que a tradição chegou à Inglaterra, França, Estados Unidos, Porto Rico e depois, já no século 20, virou tradição na Espanha e na maioria da América Latina.

ÁRVORE MODERNA


Fonte: http://www.vocesabia.net/natal/como-surgiu-arvore-de-natal/

SÃO NICOLAU
(** E quem então foi esse São Nicolau??)
São Nicolau foi bispo de Mira, na Ásia Menor, no século IV. Tornou-se famoso por sua generosidade; muita gente passou a crer que qualquer dádiva feita de surpresa vinha dele. O povo da Holanda escolheu São Nicolau como patrono das crianças, e a sua fama pouco a pouco se espalhou. Em vários países europeus as crianças crêem que São Nicolau é quem lhes traz os presentes que recebem do Natal. Contudo, muito mais disseminada é a figura do velho gordo, barbudo, bigodudo e sorridente, de cabelos completamente brancos, que vem voando pelo céu guiando um trenó puxado por duas ou mais juntas de renas, que o identifica como proveniente do polo norte, pois é onde se usa trenó, e onde vivem as renas.
São Nicolau de Mira (também conhecido como são Nicolau de Bari) é o santo padroeiro da Rússia, da Grécia e da Noruega. É o patrono dos guardas noturnos na Armênia e dos coroinhas na cidade de Bari, na Itália, onde estariam sepultados seus restos.
(Ou seja, São Nicolau foi o personagem que acharam para “substituir” Odin na mente das pessoas, e que acabou originando o Papai Noel atual.)
SOBRE O PAPAI NOEL ATUAL

Até o final do século XIX, papai Noel era representado com roupas de inverno, porém na cor marrom. Em 1881 a Coca-cola realizou uma grande campanha publicitária vestindo Papai Noel com as cores vermelha e branca (como as de seu rótulo) e acrescentou-lhe um barrete vermelho adornado por um pom-pom branco. Tal campanha fez um enorme sucesso e a nova imagem de Papai Noel espalhou-se rapidamente pelo mundo.
Até o final do século XIX, o Pai Natal era representado com roupas de inverno de cor marrom. O artista responsável por este visual moderno foi Haddon Sundblom.

E assim temos o Papai Noel atual e a futilidade contemporânea de ficar dando presentes uns para os outros nesta data, falando que tem alguma coisa a ver com Jesus, e fazendo festa, aí sim, para os donos de lojas de artigos supérfluos e fúteis como esses que vemos todo fim de ano nas lojas...

  • Só dizer que não tomei conhecimento disto que estou postando por estes sites não. Só os usei para enriquecer o post. Tenho ciência disto há muito mais tempo, por alguns livros e artigos e tal. Mas faço grandes elogios a esses blogs. Quero, com tempo, dar uma olhada melhor neles. =)

5 comentários:

Allan Robert P. J. disse...

Ei! Allan Robert P. J. sou eu.
É muita informação para ser dedicado a um grupo de pessoas. De qualquer modo, muito obrigado.

Algumas informações eu conhecia, mas a do carvalho é, para mim, uma novidade. Aprendendo sempre. :)

Morgana disse...

muito legal esse post..nem foi dedicado pra mim, sniffff heuhe

num disse q o ano novo era comemorado no dia do meu aniversario? só não lembrava se era no hemisferio sul ou norte....

Sándor disse...

Fala Fábio Progressiva Man!

Valeu a didicação do post!

Tirando o lance do Papai Noel, o resto era novidade pra mim!

O lance da Coca-Cola é um exemplo bem recente de como as culturas vão influênciando severamente nas tradições antigas!

Daqui às usn 100 anos Natal vai ser totalmente diferente! Aposto meu hidromel nisso! rs

Abração!

Fabio disse...

ô amor (Morgana), agora que vi seu coment aqui. Só quis fazer uma pequena homenagem aos que comentaram no nosso blog, e fizeram bons elogios, hehe.

A vc, dedico minha vida!!!

=)

Gui=) disse...

Na verdade, o Samhain e o Ffestival de Beltane são Celtas, não têm nada a ver com Odin e Eostre ou Hernça Nórdica.